03 março 2012

E se a Codificação fosse nos dias atuais?

E. R. Mierlo
Em 1857, quando Allan Kardec publicou a primeira edição de O Livro dos Espíritos, por falta de terminologia e muitos dos termos empregados por ele servia para designar diversos elementos, propriedades físicas, propriedades químicas ou ainda fenômenos naturais, os quais hoje em dia já possuem nomenclatura própria.
Mais tarde na obra de Francisco Candido Xavier, o Espírito André Luiz trouxe alguns esclarecimentos científicos, identificou e classificou, dando luz a alguns destes elementos, fenômenos e propriedades.
No século passado, surgiram inúmeros pesquisadores e estudiosos dos fenômenos naturais, tanto no ramo da Física, da Química e da Biologia, tais como, Albert Einsten, Hendrik, Michael Faraday, Ernest Rutherford, Antoon Lorentz , Wilhelm Conrad Röntgen, Charles Hard Townes, Marie Curie, Francis William Aston, Irène Joliot-Curie, Otto Hahn, Willard Frank Libby, Charles Robert Richet, Bernardo Houssay, James Watson, e muitos outros, os quais trouxeram com eles nomes, fórmulas e definições, que acabariam por desvendar e desmitificar para a humanidade os até então fenômenos e elementos desconhecidos da natureza.
O século XX, trouxe a tona conhecimentos inúmeros, especialmente a partir da década de 40, os anos seguintes se tornaram a época em que houve a maior quantidade de descobertas científicas, desde a remota invenção da roda. Entre as mais conhecidas, a Teoria da Relatividade, a Fissura do Átomo, a decodificação da estrutura do Ácido Desoxirribonucléico (DNA), a Energia Atômica e outras, junto as terminologias apropriadas para fenômenos, elementos e propriedades.
Analizemos O Livro dos Espíritos Livro I, Cap.II, Pergunta 27:

Haveria, assim, dois elementos gerais do Universo: a matéria e o espírito?
- Sim e acima de ambos, Deus, o criador, o pai de todas as coisas. Essas três coisas são o princípio de tudo o que existe, a trindade universal. Mas ao elemento material é necessário ajuntara fluido universal, que exerce o papel de intermediário entre o espírito e a matéria propriamente dita, demasiado grosseira para que o espírito possa exercer alguma ação sobre ela Embora, de certo ponto de vista, se pudesse considerá-lo como elemento material, ele se distingue por propriedades especiais. Se fosse simplesmente matéria não haveria razão para que o espírito não o fosse também. Ele esta colocado entre o espírito e a matéria; é fluido, como a matéria e matéria; suscetível em suas inumeráveis combinações com esta, e sob a ação do espírito de produzir infinita variedade de coisas, das quais não conheceis mais do que uma ínfima parte. Esse fluido universal, ou primitivo, ou elementar, sendo o agente de que o espírito se serve, é o princípio sem o qual a matéria permaneceria em perpétuo estado de dispersão, e não adquiriria Jamais as propriedades que a gravidade lhe dá.

O Espírito de Verdade ao ser indagado pelo Codificador sobre os elementos gerais do universo, responde que há três elementos básicos, Deus, Fluido e Espírito, e sublinha que Fluído está colocado entre o Espírito e a Matéria, pois é o elemento básico de constituição da última.
O Codificador ainda pergunta:
Seria esse fluido o que designamos por eletricidade?
Nota-se o desconhecimento de terminologia apropriada, uma vez que, na época os estudos e pesquisas sobre as propriedades físicas, químicas e biológicas da matéria, apenas engatinhavam, se não eram embrionários, por falta de equipamentos adequados para tal.
Hoje em dia sabe-se que a matéria é constituída de partículas elementares de massa não-nula, átomos e que o mesmo se subdivida em eletros, prótons e nêutrons, e ainda, conforme o conceito atual: Matéria é energia vibrando em baixa freqüência. Ou seja, matéria é energia condensada.
Ora, se matéria é energia vibrando em baixa freqüência, isso quer dizer que existe energia em inúmeros níveis de vibrações, e ainda, dependendo do número de vibrações, tem-se o tipo de matéria que é formada. Sabe-se que todos os elementos conhecidos e que estão classificados na Tabela Periódica dos Elementos Químicos são diferentes pela constituição de seus átomos, ou seja, o numero de prótons, neutros e eletros que estão em seu interior e a forma como eles se organizam.
Baseando-se neste conceito atual, se o Espírito de Verdade fosse indagado sobre os elementos gerais, constituidores do Universo nos dias de hoje, responderia tão simplesmente Fluido? Ou lançaria mão de conceito mais esclarecedor. Por certo que sim! Pois se o Fluido é o elemento básico da matéria e atualmente sabe-se que a matéria é energia condensada, então, Fluido é Energia.
Vejamos um exemplo, para comparar conceitos atuais, com os conceitos da Codificação:
Nas Obras Básicas da Doutrina Espírita, Allan Kardec ensina que há diversos tipos de Fluidos, do mais etéreo ao mais pesado, do mais puro ao mais viciado. Vimos acima que se o fluído é o elemento básico da constituição da matéria, então, fluido é igual energia. Há pessoas que se perguntarão, como? Carne é energia? Pedra é Energia? È sim, não há dúvida, por quê? Ora, peguemos o corpo humano, o dividamos em cabeça, tronco e membros, essas partes são constituídas de órgãos, coração, fígado cérebro, pele, etc; cada um desses órgão é constituído por células, célula é a menor partícula viva que existe, que por sua vez, também é dividida em pequenos corpúsculos, mitocôndrias, complexo de Golgi, centríolos e outros tantos, esses são formados por moléculas, como as proteínas, os ácidos, o hidrocarbonetos, tais moléculas são combinações de átomos dos elemento químicos, o átomo é a menor partícula de um elemento químico, formado por carga elétrica negativa, os elétrons, carga elétrica positiva, os prótons e pelos nêutrons, esses como o nome indica, não possuem carga elétrica. Os elétrons fazem parte da constituição do átomo e não podem ser divididos, circunda o núcleo do átomo como um satélite e é o responsável pela criação dos campos magnéticos e elétricos, mas há aqueles que se deslocam livremente pela matéria, formando um feixe em determinada direção, ao qual se dá o nome de corrente elétrica. O próton junto com o nêutron, formam o núcleo atômico de todos os elementos químicos. Sendo assim, é fácil deduzir, que qualquer tipo de matéria é uma combinação de energias, seja a matéria viva ou não.
Basta olhar em volta e ver no mundo atual, para nos darmos conta disso, as cargas elétricas atômicas são utilizadas vastamente em nosso dia-a-dia, seja na medicina, o raio-X nada mais é do que a aceleração de elétrons, que ganham energia e são direcionados a um alvo; na geração de energia nuclear, que é um processo de alteração do átomo e até mesmo, infelizmente, na fabricação de armamentos, a bomba atômica, que quando ativada libera uma enorme quantidade de energia através de reações que atingem os elétrons de determinados elementos químicos.
Convém a nós Espíritas nos atualizarmos, estudarmos e nos colocar dentro dos conceitos e descobertas que elucidam os conceitos trazidos pelo Espírito de Verdade, a fim de que possamos melhor explicar ou ensinar, quando indagados por irmãos que buscam na sua um maior entendimento ou que dependendo da nossa resposta, dar início ao seu esclarecimento, pois pela resposta que obtiveram, foram capazes de comparar com o seu dia-a-dia.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...